Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

amarporinteiro

Aqui verto todos os sentimentos que sinto por uma mulher única e verdadeira nos seus atos. Esta história pode não ter começado num "era uma vez", mas vai acabar num "foram felizes para sempre"

Aqui verto todos os sentimentos que sinto por uma mulher única e verdadeira nos seus atos. Esta história pode não ter começado num "era uma vez", mas vai acabar num "foram felizes para sempre"

amarporinteiro

03
Fev18

AMO-TE TANTO RAPARIGA!

amarporinteiro

Ontem, na viagem que fiz, dei por mim a falar sozinho e a responder a perguntas que fazia a mim mesmo. Sabes, adoro viver, na sua plenitude, este amor que sinto por ti. Pensei em como é bom amar alguém, ser um amor recíproco, e ainda conviver com a paz no meu coração.  

Um amor leve é uma maneira de amar em que as cobranças não são palavras ditas frequentemente, em que as expectativas não são prioridades a serem cumpridas ou que se usa mágoas passadas como munição.

Um amor leve como o nosso é como um tranquilo e rotineiro passeio no parque. E isso não significa que estamos, os dois, sempre no parque, a correr entre as aves e árvores floridas e a rir da vida constantemente.

Amar não é necessariamente uma mistura de utopia e intensidade, mas, sim, de paciência com a realidade. Viver um amor como o nosso requer paciência, maturidade e uma sensação de que não temos mais tempo para perder com coisas pequenas e sem sentido.

Há muita conversa, compreensão para ceder e entender que cada um demonstra os seus sentimentos de uma forma diferente, seja como ela for. Para amar é necessária empatia, não somente pela pessoa pela qual estamos a doar o nosso coração, mas pelo mundo. Com empatia pelo mundo aprendemos como as pessoas são e aceitamos os defeitos e as histórias com mais facilidade.

Acontece que relações maduras, por isso leves, simplificam as coisas, diferente de relações imaturas que gostam de complicar pequenas situações. Discussões sempre existirão – e devem! –, mas não serão um empecilho para ficarmos dois dias sem conversar como se fossemos crianças. Numa relação como a nossa resolvemos as coisas com mais facilidade, pois não há espaço para disputa, ego, atitudes impulsivas e egoísmos: não estamos aqui para amar?!

Neste tipo de amor a prioridade é o respeito sempre com conversas sem verdades agressivas. Amamos com calma, como se a eternidade fosse só mais uma volta a pé pelo nosso bairro e rimos, juntos, pela alegria de estarmos os dois dentro um do outro.

Os abraços são dados com facilidade, os beijos podem ser repetidos com a certeza que não há ninguém na fila e a vontade de amar é algo que já acorda connosco.

Sabes, Amor, AMO-TE com uma intensidade tremenda e com um sentimento tão puro que todo o meu EU é TEU. E, ontem, no momento mais difícil do meu dia, apenas pedi para conseguir chegar a casa e sentir o teu abraço e o teu amor. Consegui! E, HOJE, mais uma vez, digo-te que:

AMO-TE TANTO RAPARIGA E ÉS VIDA EM MIM.

 

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub